As Sufragistas

Esperei meses para ver esse filme, e a espera não foi em vão.
Primeiramente tenho que dizer, é um filme de mulheres fortes, guerreiras e persistentes.

suffragette_ver15_620360

Continuar lendo “As Sufragistas”

Anúncios

Maratona de filmes de Natal!

Oi minha gente linda!
Todo natal, eu, meus primos e minha irmã fazemos maratona natalina, desde pequenos gente tem esse costume e se até hoje,  gente escolhe os preferidos e passamos o dia na frente da TV.

Vou passar uns dos nossos queridinhos de NATAL *—-*

1 – O estranho mundo de Jack.
Claro que um terror natalino não poderia faltar, terror não, fofura!

curiosidades-estranho-mundo-de-jack

2 – O expresso Polar.
Pelos Deuses, esse filme tem aquela história comovente que sempre me impressiona, amo muito!

favor3

3 – O fantasma de Scrooge.
Adoro esse filme e o jeito duro dele nos tentar ensinar a ser melhores.

008992

4 – Um homem de família.
Nicolas arrasa e mamis ama!

materia-um-homem-de-familia

5 – Milagre na rua 43.
Magico e encantador.

34-606

Então preparem seus chocolates quentes, chamem a família e aproveitem, tem certas coisas que são únicas!

Semana Halloween #vampiros

Oi gente! Semana de Halloween e venho aqui falar a vocês sobre vampiros.

Tcharararan!

vampire 1

Essa lenda é tão antiga quanto a própria existência humana. A ideia do vampiro como um monstro sugador de sangue foi uma das primeiras manifestações culturais diante do desconhecido sobre as doenças. No inicio, ninguém tinha conhecimento e o conceito de doença. O corpo humano e sua complexidade eram totalmente ignorados. Quando alguém começava a passar mal logo acreditavam no sobrenatural. Então surgiu a ideia de seres que se alimentavam da energia dos vivos, deixando-os naquele estado torpe até, talvez, levando à morte.

Com o tempo a história mudou e o vampiro ficou conhecido como o Drácula, o vampiro dos vampiros, sua mordida transforma os vivos em vampiros, mortos-vivos que se alimentam de sangue humano, da Transilvânia pro mundo, a cultura do vampiro se espalhou, ainda há quem acredite que eles existem e vivem por aí, métodos de se proteger existem vários, alho, água benta, cruz, luz do sol e assim vai.
Eu particularmente, torço para não existir hahahahahaha vai saber né!!!
Abaixo segue umas dicas pra esse feriadão.

vampire 4
Filmes sobre vampiros :

  • Drácula de Bram Stoker, 1897 – porque clássico é clássico, e você não pode passar a vida sem um clássico!
  • Dark Shadows, 2013 – cômico, divertido e trágico. E Johnny, aah Johnny.
  • Nosferatu, 1922 – só digo uma coisa, ASSISTAM!!!
  • Entrevista com o Vampiro, 1994 – uma relação e amor com esse filme, é fantástico. Um clássico também.
  • Van Helsing, 2004 – – todos conhecem, dos desenhos aos HQ’s, vale assistir de novo.
  • Drácula, 2014 – gente, que filme é este?! uma versão romântica do Drácula.

vampire 2

Livros sobre vampiros:

  • Drácula, Bram Stoker. – que livro maravilhoso,de fato, o verdadeiro vampiro.
  • The Vampire Diaries L.J. Smith. – porque tem que ter sim!
  • Academia de vampiros, Richelle Mead. – saga porque saga é vida!e me deixa deprê 😦
  • O vampiro Lestat, Anne Rice. – porque Anne é Anne, e não se vive sem grandes leitores.
  • A hora do vampiro, Stephen King. – cara vocês conhecem o Stephen, então se preparem para um livro incrível. 

vampire 3

Outra dica? Assistam a noite!!
Bons sonhos, ou não. Hahahahahahaha!

O dia do Curinga – Jostein Gaarder

Ola! Hoje Venho falar do  O  Dia do Curinga , geeeente esse livro maravilhoso, é o mesmo escritor de  O Mundo de Sofia (ainda não li, mas tá na lista), então vamos ao livro!!

O livro conta uma jornada de um menino norueguês chamado Hans-Thomas e seu pai, que estão viajando a Europa busca da mãe e esposa.

 “Está aí uma coisa misteriosa:. existem cerca de cinco bilhões de pessoas neste planeta mas a gente acaba se apaixonando por uma pessoa determinada e não quer troca-la por nenhuma outra.”

A jornada Não É Nada Fácil, a viagem é Cheia de Descobertas e subjetividades, no meio da viagem Hans ganha um livrinho dentro de um pãozinho de um estranho padeiro, uma lupa de um anão, e se consulta com uma cartomante, durante a viagem Hans vai lendo o livrinho e adentra em uma história de um naufrago que se encontra em uma ilha que não parece fazer parte desse mundo, o naufrago ´´e acompanhado por seres caracterizados pelos naipes do baralho, pessoinhas de Ouros, Copas, Espadas e Paus, sua “Rotina” passa a ser regida por um novo calendário e entre os personagens, tem o curinga, uma carta unica e diferente de todas as outras, ele percebe sua diferença e  passa a viver como se isso lhe permitisse qualquer ação – O Filósofo.

E enquanto fiquei parado ali, observando o céu ir mudando de cor, primeiro cada vez mais vermelho e depois cada vez mais claro, experimentei uma coisa que jamais havia experimentado antes; um sentimento que desde então nunca mais me deixou: lá estava eu na frente da janela da cabine de um navio, eu, um ser enigmático, vivo, mas que apesar disso nada sabia de si. Experimentei a sensação de ser uma criatura viva num planeta vivo dentro de uma Via Láctea.

Durante a viagem Hans e seu pai tem muitas conversas que abordam temas filosóficos, com o tempo ele se envolve mais com as “loucuras” do pai e vai aprendendo com com “loucuras” do curinga … ao mesmo ritmo que Hans lê o livrinho coisas estranhas, ou coincidências, acontecem com ele.
img 1
O livro tem como pano de fundo o baralho, uma metáfora que em certo ponto se funde com a vida de Hans e de seu pai. O livro é dividido em 52 capítulos, sendo um capitulo para cada carta do baralho, Jostein combina duas histórias em um livro, e por mais que pareça difícil sua leitura, não é.A leitura é gostosa, leve e intrigante, indicada para aqueles que tão ingressando agora no ramo da filosofia, e pra aqueles de imanação sem limites.

Boa leitura, Curinga!

Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível

Um filme muito bem elaborado, e ouso dizer que a equipe de marketing da Disney não brinca em serviço.

img 3

O longa tem a intenção de ressaltar a esperança, o bem vencendo o mal, salvar o mundo, lhe convencer que você pode (e convenceu). Toda essa força e empenha ta inserida na Casey Newton, adolescente brilhante que nunca desiste. E do outro lado o George Cloon… opaaa, Frank Walker, já adulto que depois de viver e ver, desistiu dos sonhos. O filme passa claramente a mensagem que os jovens podem salvar a humanidade, que as pessoas nunca devem desistir (se você conhece a história do Senhor Disney, vai sacar muito bem o porque de tanta enfase, em seguir seus sonhos) mas não é esse clichê manjado não, com bandeiras brancas de paz e pombas voando. Sim a um merchandising muito grande, tanto que a entrada para o mundo mágico é um dos brinquedos mais famosos da Disney, sim, apelou.

img 2

Porém Tomorrowland, não é só marketing pra você ir conhecer o parque da Disney, o filme é interessante e envolvente, que agrada todos os públicos, com personagens centrais e divertidos, o filme deixa um clima de mistério e humor, com um pitada de ficção científica (robôs do mal, armas super poderosas, invenções mirabolantes que me deixaram de queixo caído).

Agora que já dei uma brecha do que o filme tem, vamos pro lado critico de novo, o filme deixa uma sacada da situação atual da NASA (opa, pesquisar no GOOGLE o que ta rolando), também mostra a manipulação da mídia já la pro finalzinho (vou nem fazer comentários), e mostra o que nós fazemos, como nós agimos, por um momento parece que colocaram um espelho de frente a humanidade. Partindo para a  atuação, os principais, Britt e George, não me surpreenderam, mas a Raffey, gente, tenho que confessar, o ela fez diferença com a mudança de conceito personagem.

img 4

Por fim Tomorrowland  é um filme bastante interessante, tanto pela mensagem que aborda, como pela mensagem embutida.

10 filmes românticos! #EspecialDiadosNamorados

Ahh, Dia dos Namorados…

Separamos 10 filmes para você curtir a dois *–*

Orgulho e Preconceito

Um dos nossos queridinhos ❤

img 1

2° A verdade Nua e Crua

Para morrer de rir 😀

img 2

Amizade Colorida 

Fofo e Divertido!

img 3

4° Um amor pra recordar 

Emocionante demais, o tempo passa e ele sempre estará na lista!

img 4

Juntos Pelo Acaso 

Amo, amo, amo!

img 5

6° Questão de Tempo

Filme ótimo e com final surpreendente!

img 6

Ela 

Amor imenso por esse filme!

IMG7

A Incrível História de Adaline 

Esse ta quentinho, saído do forno agorinha, ótimo e lindo *–*

img 8

500 Dias Com Ela 

Assistiam!!!

img 9

10° P. S. Eu Te Amo

Lindo e envolvente!

img 10

Dicas dadas, agora só fazer uma pipoquinha, sentar juntinho do seu amor e dar muito dengo!!

Aproveitem o dia meus queridos :*

Fogo Fátuo – Patrícia Melo

Escrito por Patrícia Melo, fogo fátuo retrata o mundo da fama, mas não pelo ponto de vista das câmeras e paparazzo, mas por trás das cortinas. Nada de fama e gloria, mas sim a depressão, o adular eterno, a solidão. O ponto inicial do desenrolar da historia é a morte de um astro em ascensão (ou decadência), o que parecia ser um suicídio-espetáculo à primeira vista, torna-se demasiadamente suspeito e é envolvido o departamento de homicídios para investigar o caso, a detetive Azucena (isso mesmo, o nome é estranho, mas a personagem é incrível) se responsabiliza pelo caso da morte de Fábio Cássio, artista egocêntrico e que não demonstrava, em vida, intenções suicidas. Alem da investigação, Azucena também passa por sérios problemas pessoais, colocando sua vida de cabeça para baixo, fazendo com que ela fique cada vez mais confusa com suas próprias ações.

ff 1

Os personagens são extremamente bem definidos, profundos e com personalidade, a escrita é clara e descritiva, e todo o cenário é bem montado com trama bem desenvolvida, o final é interessantíssimo.

Um trabalho primoroso de uma escritora super talentosa, indico a todos que se interessam por ficção policial!

E sim, mais um livro de escritor brasileiro sim, pra quebrar esse tabu de que só tem Paulo Coelho (que é DIVO) de escritor aqui no Brasil.ff

Resenha: A loja dos Suicidas – Jean Teulé

Imaginem uma loja onde são vendidos, há dez gerações, de todos os produtos possíveis e imagináveis ​​para se suicidar, as opções são infinitas: desde bombons envenenados até balas de revólver e cordas de enforcamento. É a famosa Loja dos Suicidas da Família Tuvache. Determinada a manter sua tradição e excelência de atendimento e qualidade, essa pequena empresa prospera familiarizada na tristeza e no humor negro até o abominável dia, em que surge um adversário impiedoso: a alegria de viver!

imhg

Teulé nos apresenta um mundo caótico, onde viver não é mais alegria e sim uma tortura, os Tuvache resolvem esses “problemas”, vendendo todos tipos de produtos com finalidade de acabar com a tristeza das pessoas.

Alan, o filho caçula de Lucrécia e Mishima, tem toda a alegria de viver que uma  “criança” de onze anos tem, canta, dança conversa com as nuvens e brinca com borboletas, totalmente oposto de Marylin e Vicent, seus irmãos mais velhos, são depressivos e problemáticos, Alan é cheio de vida, com seus sorrisos largos e contagiantes, e com seu jeitinho ele se infiltra em cada um da família e transforma a vida de todos …

imagb

O livro é lindo, e escrito de modo suave apesar do tema “pesado”, Teulé tem um jeito bem singular de escrever que consegue segurar o leitor até o fim. O livro é pequeno e tem um final surpreendente.

Além do livro A loja dos Suicidas, também tem o filme A pequena loja de Suicídios que é inspirado no livro, mas com pequenas mudanças.

Eu vi o filme primeiro, e só achei o livro semana passada, não me decepcionei com nenhum dos dois e recomendo!

Principalmente pra quem reclama demais da vida e para reavaliar seu modo de ver o mundo.

Boa Leitura!

Mulheres – Henry Charles Bukowski

Quem é Buk? Um poeta, contista, romancista nascido na Alemanha.

Buk viveu em Los Angeles grande parte de sua vida, passou parte de sua vida bebendo, escrevendo alucinadamente e trabalhando em empregos temporários, em 1971 surge seu  alter ego Henry Chinaski, o que deixaria Buk famoso… Chinaski faz parte de todos os seus romances exceto em Pulp, sua ultima obra. Suas principais influencias foram Dostoiévski pelo pessimismo e Hemingway pelas frases curta e jeito simples de escrever.

buk 2

A leitura de Buk é extremamente autobiográfica, sempre sonhou em ser reconhecido pelo seu trabalho. De estilo agressivo, e extramente realista ele sentava em sua máquina de escrever e, com uma sutileza surpreendente, deixava fluir seus pensamentos sem censura alguma. Bukowski vivia em um mundo atormentado e distorcido, totalmente fora dos padrões impostos pela sociedade de sua época. O escritor nunca fez questão de esconder que seus trabalhos eram, quase sempre, autobiográficos. E sua falta de discrição era tão grande, que durante toda vida teve de lidar com a quebra de laços de amizade. Ele citava, sem qualquer preocupação, nomes e, quando muito inspirado, fazia duras críticas às pessoas que o cercavam. Repulsa, nojo, ódio, amor, paixão e melancolia. Esses são alguns dos sentimentos que mais inspiraram Charles Bukowski, que passou a vida nos becos dos Estados Unidos, na composição de toda sua obra. Cada poesia, cada romance e cada conto do escritor traz um pouco da vida do “Velho Safado”, como ficou conhecido no mundo inteiro.

Buk hoje é muito reconhecido por seus romances crus, poemas melancólicos e contos muito bem humorados…

Mulheres

“Eu tinha cinquenta anos e há quatro não ia pra cama com nenhuma mulher.” e assim começa Mulheres, Henry Chinaski escritor, alcoólatra, amante de música clássica, depois de tanto tempo longe da mulheres Henry volta a ativa, conhece Lydia, uma louca e linda mãe de dois filhos, e louca, tipo, muito louca… depois vem  April, Lilly, Dee Dee, Mindy, Hilda, não importa o nome Hank mergulha de cabeça nelas e bagunça suas vidas, as enlouquece. Um velho, feio, bêbado, solitário de cinquenta anos e elas gostam dele, o consideram um bom sujeito. O livro é de 1978 e o terceiro romance de Buk, é a essência de sua literatura: com o velho Chinaski, ele sintetiza a alma de todos aqueles que se sentem à margem.

O livro é leve e rápido, cheio de diálogos, e de leitura fácil, com reflexões sobre vida e relacionamentos. O interessante é que você lê, e sabe que ta vendo o Buk nas entrelinhas, você sabe que ele é o Chinaski, você sente a presença dele no livro. Duro, realista e cru é assim que Mulheres é. Não, não é um livro para crianças, não é nada fora da realidade, é muito bom, muito bom mesmo, recomendo qualquer livro dele Hollywood, Misto-quente, Notas de um velho safado, Numa fria, Pulp, Ao sul de lugar nenhum, O amor é um cão dos diabos, Delírios cotidianos, A mulher mais linda da cidade…

buk

Ahh e sem esquecer o lado poeta de Bukowski vou citar o qual mais gosto dele…

“conselho de amigo para muitos jovens

Vá para o Tibete.
Viaje de camelo.
Leia a Bíblia.
Tinja de azul seus sapatos.
Deixe crescer a barba.
Dê a volta ao mundo numa canoa de papel.
Assine o The Saturday Evening Post.
Mastigue apenas com o lado esquerdo da boca.
Case com uma mulher sem uma perna e se barbeie com uma
navalha.
E entalhe seu nome no braço dela.

Escove os dentes com gasolina.
Durma o dia todo e suba em árvores à noite.
Seja um monge e beba chumbo grosso e cerveja.
Fique com a cabeça debaixo d’água e toque violino.
Faça a dança do ventre diante de velas cor-de-rosa.
Mate seu cão.
Candidate-se para prefeito.
More num barril.
Arrebente sua cabeça com um machado.
Plante tulipas na chuva.
Mas não escreva poesia. 

Henry Charles Bukowski.”

buk3

Filhos do Fim do Mundo – Fábio Barreto

Fim do Mundo

 

Mais uma vez trago um Livro Brasileiro para vocês, Filhos do Fim do Mundo.

SINOPSE

Quando as crianças do mundo param de nascer, um repórter se prepara para sua última matéria
sobre o começo do fim do mundo.
É meia-noite quando a humanidade é surpreendida pela notícia: todas as crianças nascidas nos últimos 12 meses morreram misteriosamente. Descobrem também que plantas e filhotes também morreram. Um repórter responsável por cobrir os eventos preparativos para o fim do mundo, deixa sua esposa grávida em casa, partindo para uma perigosa missão investigativa, em que terá de enfrentar grandes desafios para proteger aqueles que amam.
Em Filhos do fim do mundo, acompanhamos a saga de um repórter tentando se equilibrar entre sua função de pai e jornalista em meio ao caos pré-apocalipse. As catástrofes se misturam com a tensão psicológica do personagem em um envolvente romance que vai encantar os amantes de ficção.

 

O livro é de 2013 e por mais que vocês pensem que é algo relacionado ao fim do mundo em 2012 e do calendário maia e tal, não tem nada haver, Filhos do fim do mundo tem uma pegada bem diferente para o fim do mundo. A história não acontece nesse ou naquele ano no passado ou no futuro. Na realidade, ela se passa no tempo presente.  Outra coisa interessante da narrativa de Fábio é que ele não nomeia os seus personagens com nomes. Cada personagem é nomeado por um detalhe em particular ou por sua profissão. Digamos, o personagem repórter é chamado o tempo todo de Repórter. A esposa dele, de Esposa. O padre é Padre, o coronel é Coronel, e assim por diante. Quanto ao local onde se passa a história, ele não se preocupou em nomeá-las ou situá-las geograficamente. Poderia se passar em uma cidade de um país qualquer, no Brasil ou em qualquer lugar do mundo. E apesar dessa “novidade” a historia se desenrola muito bem, personagens carismáticos, que você se aperfeiçoa e outro que você odeia mortalmente.

Sobre esses temas de fim do mundo Fabio mostrou que ele ainda pode ser sim, muito explorado. O que você faria se encontrasse seu bebe de meses de idade morto no berço pela manhã? Se todos os bebes do mundo com menos de um ano de idade tivessem mortos, sem nenhuma explicação plausível? Se todas as plantas e filhotes com menos de um ano também estivessem mortas?  E se tudo que nascesse, nascesse morto? Seria o fim da humanidade? E se o filho que sua esposa está esperando, ou que você mesma está esperando, vier a morrer ao nascer? E se isso, de fato, não acontecer? O que isso representará nas circunstâncias pelo qual está passando a humanidade? O porque disso tudo?

E é sobre isso que trata o livro: a extinção em massa da humanidade. Claro que ele mostra apenas uma dentre muitas possibilidades que poderiam conduzir a nossa atual civilização ao seu fim. Isso aconteceu com tantas outras no passado. Babilônia, Grécia, Egito, Pompéia… Civilizações que cresceram, prosperaram e desapareceram. E nós, aqui ou ali, continuamos adiante. Certamente é isso o que Fábio Barreto quer nos mostrar em seu livro.  A humanidade acaba quando nós deixamos de ser humanos!

O livro é ótimo e li há um bom tempo, li online, e li em duas noites, ele é daqueles quem prendem mesmo, que comovem o leitor, que você pensa se as coisas realmente são justas. O fim dele é triste, mas interessante, é uma luta é uma guerra, e em guerras algumas vidas são perdidas. Acho valido da uma lida, pra quem gosta desse estilo vai curtir muito, além de conhecer um autor brasileiro fantástico!

Fica a Dica !!