Resenha Drácula – Bram Stoker

Hoje eu trago para vocês um clássico de 1897!!!

Não é um clássico comum, mas sim um que inspirou e vem inspirando histórias ao longo de séculos. Uma das figuras mais icônicas da fantasia e do terror, Drácula!

Drácula de Bram Stoker é a história que deu base aos filmes e todas as adaptações.

A história é contada através de diários escritos pelos personagens envolvidos na trama, Van Helsing, Mina, Jhonatan, Lucy, de maneira que as narrações de cada um vão se interligando, e nós vamos entendendo o terror que se passou.

Logo no início, somos apresentados ao advogado Jonathan Harker que viaja em direção ao castelo de Drácula, a fim de resolver problemas burocráticos para o conde. Era para ser uma viagem interessante, conhecer novos horizontes no leste Europeu, mas ele não contava com uma experiência tão aterrorizante.

Há algo de tão estranho acerca deste lugar e dentro de todo ele que não posso deixar de sentir-me inquieto. 

Jhonatan Harker

Pelo diário de Jhonatan, então, somos apresentados a Drácula, o conde, de maneira tão horripilante que poderia intimidar a qualquer um. No caso de Jhonatan, o jovem advogado pensa estar enlouquecendo.

Os vampiros realmente existem, e temos prova disso. Ainda que não tivéssemos passado por nossa infeliz experiência, os ensinamentos e os relatos do passado constituiriam prova suficiente para as pessoas sãs.

Para mim, o livro começa incrível com a aparição de Drácula, depois cai um pouco, mas logo melhora muito com a aparição de Van Helsing, que traz a tona toda a fantasia dos vampiros.

O nosferatu não morre como a abelha quando pica. É mais forte e por isso tem maior poder para fazer o mal. esse vampiro que está entre nós tem a força de vinte homens; é mais astuto do que qualquer  mortal, pois sua astúcia cresce com os séculos… Ele é bruto e, mais do que isso, tão cruel quanto o diabo.

A escrita de Bram Stocker é daquelas mais clássicas, com uso abusivo das mesóclises. Você percebe que está lendo algo antigo. Algo que perdura por séculos.

O que eu achei que poderia ser melhor no livro é uma maior participação do próprio Drácula. No início,  a gente lida diretamente com o conde em sua “mansão”, e isso era muito incrível, como o personagem era assustador e criava todo um cenário dark, mas depois o livro, que é continuado pelas descrições nos diários e jornais, contam muito os terrores causados por Drácula em terceira pessoa, de maneira que imergimos muito nos temores dos personagens para com o mau, do que com o próprio drácula que dá uma desaparecida da história.

Eu recomendo muito a leitura. Apesar de ser bastante antiga, não é difícil de se ler (Não disse que tenha uma fluidez de Percy Jackson :D), mas não é uma leitura complicada.

E vou falar de novo que essa edição da Martin Claret tá muito demais !

Anúncios

4 comentários em “Resenha Drácula – Bram Stoker

  1. Desde a sua outra resenha dos contos do livro, que eu fico querendo esse livro, só a edição já é digna da minha estante kkkkkkk
    Apesar de você falar que a história cai um pouco o com os relatos, eu ainda acho legal, por ser mais diferente, a minha edição do Drácula é a própria história em si, acharia interessante ler por outra visão.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Vale bastante a pena mesmo, porque ainda tem o Frankenstein nessa edição ahhaha
      E realmente é bem diferente ler a história por relatos, que a gente vê a visão de cada um na história ;B

      Curtir

Olá, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s