Manifesto do Partido Comunista

Karl Marx e Friedrich Engels, 1848

46 págs

Domínio Público

Link para baixar aqui

marxDentro do Manifesto Comunista, podemos encontrar o ideal comunista em sua essência, bem como os motivos do nascimento deste. Já vi em sites e meu professor me disse também que é um livro de linguagem muito simples de se entender. Mas não se engane 😀 Ele foi escrito em 1848, voltado a filosofia política, então não é como ler Percy Jackson :D, muito pelo contrário, tem que prestar bastante atenção em cada item para não perder a ideia da frase e talvez até recorrer ao google/dicionário. Mas, de fato, o texto é bem claro em muitos pontos, tanto é que vou colocar muitas citações do livro aqui, pois elas são bem explicitas no que querem dizer.

O escritores fizeram o livro, pois acreditavam que já estava mais do que na hora de desmistificar todo o ideal comunista. Eles já não aceitavam mais as ideias difamadoras que muitos tentavam passar, a fim de diminuir os defensores comunistas.

No início, eu penso que há um desenvolvimento excelente sobre a história da sociedade. A teoria de Marx é bastante voltada para a luta das classes sociais, sendo que no manifesto, apesar dele não ter escrito sozinho, pode-se ver claramente.

engelsEles iniciam explicando que a história da sociedade é a história das lutas de classe. “Homem livre e escravo, patrício e plebeu, senhor feudal e servo, membro de corporação e ofícial-artesão, em síntese, opressores e oprimidos estiveram em constante oposição uns aos outros, travaram uma luta ininterrupta, ora dissimulada, ora aberta, que a cada vez terminava com uma reconfiguração revolucionária de toda a sociedade ou com a derrocada comum das classes em luta”.

Demonstrando que podemos explicar toda a história com base em que sempre houveram classes brigando entre si, cada um defendendo seus direitos, mas havia sempre um opressor e um oprimido.

O que traz uma ideia interessante ao livro, pois em nenhum momento estão querendo dizer que os burgueses – a classe opressora do momento-, foram os únicos que queriam se sair bem em cima de outros, e que a sociedade antes deles era um mar de rosas :D, pelo contrário, isso é algo que já acontece desde sempre, quando um quer ter mais do que o outro. No caso, acumular capital em cima de uma maioria desfavorecida. Faço uma comparação a Game of Thrones. Na série ou no livro, cada um defende seus direitos, não existindo um bem ou um mal, mas com certeza há uns com muito mais poder que acaba oprimindo o outro.

Todas as classes anteriores que conquistaram o poder para si, procuraram assegurar a sua condição de vida já adquirida à medida que submetiam toda a sociedade às condições de sua aquisição

No entanto, o que querem passar, de fato, é o motivo de ser necessária a instalação do comunismo e o que mudaria com ela. E, para isso, explicam todas as contradições que aconteciam no capitalismo daquela época.

Explica-se que havia duas classes naquela época que brigavam entre si com direitos opostos. De um lado, o proletariado sendo oprimido, pois era a grande maioria da população com pouco dinheiro, e do outro lado, a minoria burguesa detentora do capital.

…A moderna sociedade burguesa, emergente do naufrágio da sociedade feudal, não aboliu os antagonismos de classes. Ela apenas colocou novas classes, novas condições de opressão, novas estruturas de luta no lugar das antigas...”

…A nossa época, a época da burguesia, caracteriza-se, contudo, pelo fato de ter simplificado os antagonismos de classes. A sociedade toda cinde-se, mais e mais, em dois grandes campos inimigos, em duas grandes classes diretamente confrontadas: burguesia e proletariado… “.

Dentro desse contexto de contradições, explica-se que os burgueses tiraram a opção dos proletariados de servir a eles mesmos para ter como única opção utilizar sua mão-de-obra em alguma fábrica, em que o burguês era detentor tanto dos produtos a serem modelados quanto das máquinas a serem operadas e, sendo assim, os trabalhadores ficam a mercê das vontades de um “superior”.

A burguesia despojou de sua auréola sagrada todas as atividades até então veneráveis, contempladas com piedoso recato. Ela transformou o médico, o jurista, o clérigo, o poeta, o homem das ciências, em trabalhadores assalariados, pagos por ela“.

Mas como eles eram pagos pela burguesia e os proletariados dependiam desse pagamento para sobreviver, o burguês fazia o que bem entendesse. Tal como, explorar ao máximo toda a energia do trabalho do proletariado, pois submetia-os a extensas horas de trabalho, porém pagando salários minúsculos a eles.

A indústria moderna transformou a pequena oficina do mestre patriarcal na grande fábrica do capitalista industrial

Tal contradição, de trabalhar muito e ganhar pouco, levava a outra. Pois, uma vez que quem trabalhava não recebia um salário adequado, o dinheiro sobrava para quem não trabalhava. :S Sendo assim, o capital, cada vez mais, se acumulava nas mãos dos poucos donos das fábricas em detrimento do trabalho dos assalariados.

Então, para a mudança dessas contradições e muitas outras apresentadas no livro, defendia-se uma outra revolução. A revolução do proletariado.

De todas as classes que se defrontam hoje com a burguesia, só o proletariado é uma classe realmente revolucionária“.

formação do proletariado em classe, derrubada da dominação burguesa, conquista do poder político pelo proletariado

Para isso ele mostrou quais seriam as mudanças do comunismo, vou enumerar algumas principais.

Queremos apenas suprimir o caráter miserável dessa apropriação, na qual o operário vive apenas para multiplicar o capital, e vive tão-somente enquanto o requer o interesse da classe dominante.
Na sociedade burguesa o trabalho vivo é apenas um meio de multiplicar o trabalho acumulado. Na sociedade comunista o trabalho acumulado é apenas um meio para ampliar, enriquecer, fomentar o processo de vida do operário”

Vocês se horrorizam com o fato de querermos suprimir a propriedade privada. Mas na sociedade vigente, na sociedade de vocês, a propriedade privada está abolida para nove décimos de seus
membros; ela existe exatamente por não existir para nove décimos”

Dez mudanças que comunismo iria fazer de acordo com o manifesto:

1. Expropriação da propriedade fundiária e emprego da renda fundiária para despesas estatais.
2. Pesado imposto progressivo.
3. Abolição do direito de herança.
4. Confisco da propriedade de todos os emigrantes e insurrecionados.
5. Centralização do crédito nas mãos do Estado através de um banco nacional com capital estatal e monopólio exclusivo.
6. Centralização do sistema de transportes nas mãos do Estado.
7. Multiplicação das fábricas nacionais, dos instrumentos de produção, arroteamento e melhoria, segundo um plano comunitário, de grandes extensões de terra.
8. Obrigatoriedade de trabalho para todos, constituição de exércitos industriais, especialmente para a agricultura.
9. Unificação dos setores da agricultura e da indústria, atuação no sentido da eliminação gradual da diferença entre cidade e campo.
10. Educação pública e gratuita para todas as crianças. Eliminação do trabalho infantil em fábricas na sua forma atual.

Portanto, a obra é pequena – apesar de ser bastante densa-, porém nela podemos encontrar muito da essência do comunismo. É claro que se pode discutir muito sobre a realização deste na prática, o que inclusive ainda está em grande alta, apesar do cenário ter ficado muito mais complexo. Mas, com certeza, entender quais foram as causas para se ter pensado em todo o ideal, assim como o comunismo é pensado, é muito importante para poder se discutir sobre política e maneiras de se viver em sociedade. 🙂

Anúncios

Olá, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s