Resenha: Vidas Secas

vidas-secas-capa

Autor: Graciliano Ramos

Publicado em 1938

SINOPSE: Em ´Vidas Secas´, o autor acompanha a trajetória  do pobre vaqueiro Fabiano e sua família. Além de ser o mais humano e comovente dos livros de ficção de Graciliano Ramos, ´Vida Secas´ é o que contém maior sentimento da terra nordestina, daquela parte que é áspera, dura e cruel, sem deixar de ser amada pelos que a ela estão ligados teluricamente. O que impulsiona os seres desta novela, o que lhes marca a fisionomia e os caracteres, é o fenômeno da seca. ´Vida Secas´ representa ainda uma evolução na obra de Graciliano Ramos quanto ao estilo e à qualidade estritamente literária.

Olá leitores,

Então, primeiramente gostaria de falar do título do livro que é bem interessante ‘Vidas Secas’. Esse título é bem poético, pois duas palavras opostas VIDA e SECA foram colocadas lado a lado. Afinal quando pensamos em seca a última coisa que nos vem a cabeça é vida!!

O livro era pra ser chamado originalmente de ‘O mundo coberto de penas’ que é título do penúltimo capítulo do livro, no entanto o autor mudou o nome pois, Vidas Secas era mais vendável!

O romance em questão é considerado desmontável, ou seja, os capítulos são quase independentes. Isso ocorreu pois, cada capítulo era publicado no jornal em forma de conto (O primeiro a ser publicado se chamava ‘Baleia’). Só depois que Graciliano decidiu juntá-los e formar um livro =)

Nesta obra o autor mantem um estilo seco, direto e conciso.

Agora falando da narrativa, o livro inicia com uma Família de retirantes do sertão nordestino, formada por Fabiano, Sinhá Vitória, Menino mais velho, Menino mais novo (notem que eles não possuem nomes.. Os dois meninos simbolizam todas as crianças do Brasil que são vítimas da seca e da miséria), Papagaio e Baleia. Eles estão ‘fugindo’ da seca.. Procuram alguma fazenda para Fabiano trabalhar como vaqueiro e poderem habitar..

Logo no início a família mata o Papagaio para comer… por pura sobrevivência.. Nessa obra a sobrevivência é tudo. E é ela que desumaniza, animaliza e embrutece.

Em toda a narrativa Fabiano não fala, ele grunhi, balbucia sílabas. Essa característica o aproxima mais de um animal!!

Um dos personagens mais importantes do livro é a cachorra Baleia. No livro ela é antropomorfizada, ou seja, ela ganha sentimentos e sensações humanas. Ela possui vida psicológica.

Um capítulo interessante do livro é quando os personagens vão a Festa na cidade. Os meninos se entusiasmam com as lojas e com as luzes.. só que aí entra um dilema:

Cidade: lojas e luzes -> não se identificam

x

Natureza: seca – > não sobrevivem

O final do romance simboliza um novo ciclo… mesma seca… nova fuga!! Mesmo com todas as adversidades a família ainda tem esperança de um futuro melhor.

id_portinari_retirantes

Obra: Os retirantes de Cândido Portinari

Essa relação entre a obra de Graciliano e a de Portinari é totalmente válida.. A pitura mostra uma família de retirante sobrevivendo à seca.

Essa obra é tão genial que em 1 962 foi premiada pela fundação norte-americana William Faulkner como Livro Representativo da Literatura Brasileira Moderna.Eu, particularmente, a amo.. A leitura é fluida e de fácil compreensão. A narrativa é instigante e retrata bem o cenário da seca vivido pelos personagens. Com esse livro passamos a entender mais o sofrimento de pessoas que, infelizmente, ainda vivem nessa situação.

Recomendo muito!!

Beijoos.

Anúncios

8 comentários em “Resenha: Vidas Secas

Olá, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s