O Capital (Compêndio)

IMG_20150929_150717933[1]

O “Compêndio de O Capital” escrito por Carlo Cafiero traz uma interpretação resumida sobre o livro “O Capital” de Karl Marx em 159 páginas, mas de maneira muito fiel, que inclusive fora até elogiada por Karl Marx. (Contém uma carta inclusa no livro que o Marx enviou elogiando o trabalho).

O livro traz um tipo de denúncia mesmo, sobre os abusos que o proletariado, os trabalhadores operários, sofriam dos capitalistas, os donos das empresas, divulgando diversas histórias dentro do contexto e explicando questões sobre economia.

É interessante que essa denúncia não é de maneira desenfreada, ela analisa pontos bastante complexos de forma não generalizada, não julgando todo o capitalista como imoral.

ESQ

(Esquema utilizado no livro para explicar mais-valia relativa)

Por exemplo, ele introduz o conceito de “mais-valia relativa”. Primeiro, é importante saber que o período de trabalho, conforme explicado no livro, teria a duração de AB, e ele não pode ser aumentado, pois o capitalista não consegue fazer um dia com mais de 24 h, e além disso os trabalhadores precisam de um tempo para fazer suas tarefas pessoais apesar dele ser pequeno. Então, como o período AC representa o tempo para recompor o dinheiro investido pelo capitalista, o CB representa a mais-valia, intervalo de tempo que a produção do operário se transforma em lucros para o contratante de seus serviços. Sendo assim, para aumentar esse intervalo de tempo, precisaria diminuir o intervalo AC para o AD e aumentar o CB para DB, mas, para fazer isso, ele poderia dizer que o capitalista apenas diminui o salário do trabalhador, o que diminuiria o tempo de produção para conseguir o dinheiro investido de volta, mas ele concorda que isso é imoral, e ele não está tratando desse tipo de capitalista, mas sim dos dignos. Então ele chega a conclusão que, para aumentar o período de mais-valia, necessitava reduzir o preço do produto que o trabalhador utiliza para fazer seu trabalho, e não o salário do operário, afinal tudo tinha seu valor e isso devia ser respeitado. Portanto, a mais-valia relativa seria aumentar o tempo de mais-valia, mas em relação a diminuição do tempo de produção necessária(tempo para pagar seus investimentos), e não aumentado mais ainda o tempo de trabalho, se é que tinha como, ou diminuindo o salário. :S:S

Uma história que me chamou a atenção foi o relato de um metalúrgico que, por um desentendimento com seu “chefe”, não queria mais trabalhar para ele, apesar de ter assinado um contrato de 2 anos, então seu chefe o denunciou, resultando em uma sentença de 2 meses de cadeia! Mas o pior ainda está por vir, pois, quando saiu da cadeia, após cumprir o tempo, o chefe queria que ele voltasse a trabalhar novamente, e como ele recusou de novo, foi julgado mais uma vez no tribunal e declarado culpado novamente *0*

O livro é muito charmoso para quem quer saber sobre economia, muito explicativo sobre como gira o capital, de fácil entendimento ( Marx escreve isso em sua carta, que o trabalho foi muito superior a outros em relação a passar informação a população leiga). E, apesar de não estudar Economia, eu achei bastante interessante, questões sobre mercadorias, jornada de trabalho, bem como a divisão dele, acumulação de capital, entre outros relatos chocantes.  🙂

Anúncios

Olá, o que você achou?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s