Resenha: Mansfield Park #JaneAusten

0 Flares 0 Flares ×

 Aaaa meu último livro de 2017!
E minha primeira resenha de 2018 hahaha

Sinopse: Na literatura, esperamos que o herói seja vigoroso, tenha um espírito aventureiro, audácia, bravura, capacidade de superação e uma pitada de imprudência. Ele deve ser ativo, enfrentar obstáculos e afirmar a própria energia. Fanny Price, a heroína de Mansfield Park, é o oposto de tudo isso. 

Frágil, tímida, insegura e excessivamente vulnerável, a pequena Fanny deixa a casa dos pais pobres para morar com os tios mais afortunados em Mansfield Park. Lá, convive com diversos familiares, mas se aproxima apenas do primo Edmund, seu companheiro inseparável. A tranquilidade de casa, no entanto, é abalada com a chegada dos irmãos Mary e Henry Crawford em uma propriedade vizinha. Edmund se apaixona por ela, enquanto Henry flerta com todas as moças. 

Mansfield Park é o romance que marca a maturidade de Jane Austen. Apresenta um tom mais contido, sardônico, em comparação com obras idealizadas antes, como Orgulho e preconceito e Razão e sensibilidade. Aqui, mais consciente dos verdadeiros males e sofrimentos inerentes à vida em sociedade, uma das maiores autoras da língua inglesa enaltece, na figura de Fanny, a imobilidade, a solidez, a permanência e a resignação.

Romance, Literatura clássica / 303 Paginas / Cortesia Editora Martin Claret / Autora: Jane Austen / Publicado em julho de 1814 / Classificação 5/5 / Compre & Compare Fnac Livraria da Folha  


Nessa edição magnífica de Mansfield Park; vemos a história de Fanny e as pessoas ao redor dela, desde pequena até se tornar uma mulher, as dificuldades, os desencontros, os sentimentos confusos.. e muito mais!


Eu, sinceramente, senti um pouco de dificuldade no começo da leitura, me habituar com a forma da Jane escrever e todo o ambiente sabe?

Londres antigamente.. Enfim, logo após os primeiros capítulos isso passou. E pude desfrutar – sem conseguir largar – o livro.

Diferentemente dos romances atuais, aqui você irá encontrar longas narrativas, diálogos mais rebuscados e com palavras que com certeza irão enriquecer o seu vocabulário, afinal de contas, estamos falando de Jane Austen.

“..porém ela me desferira golpes mais profundos a quase cada frase que proferira.” – Pág 293

O livro me lembrou um pouco do conto da Cinderela, já que a Fanny  tem o mesmo perfil dela.. e outro fato a destacar é que esse livro literalmente te teletransporta para o passado, não somente o jeito de falar/escrever, mas todo esse cenário, onde as mulheres ainda eram muito limitadas.. Apesar da Fanny ser uma personagem forte a seu modo (a Mary também), em sua grande maioria as personagens femininas aqui, não admiráveis, não dá vontade de torcer para elas, e em muitos momentos o sentimento que elas despertam é raiva.

Obviamente, #EuSuperIndico essa história, e já lanço uma breve advertência aos interessados. Esse livro é daqueles que devem ser lidos com calma e atenção, pois é um livro com mais sentimento, onde cada frase em si é repleta de detalhes e emoções.

É como se cada frase, fosse arte.

 —— Pausa para falar dessa edição magnífica——-


Além de conter 3 contos da Jane, essa edição desenvolvida pela Martin Claret é espetacular! Só tenho elogios! Capa dura, com esse marcador vintage divo, com imagens a cada novo conto. Ain Amei! <3
Em breve posto mais fotos dele aqui hehe’

0 Flares Facebook 0 Pin It Share 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×
The following two tabs change content below.

Bianca Nunes

Chocolatra, socia media, fundadora do Mais um Leitor, meio geek, ama lobos, dragões, viagens e boas histórias

Latest posts by Bianca Nunes (see all)