Resenha: A Mulher na Janela

0 Flares 0 Flares ×

Alguém ai gosta de suspense?

Sinopse: Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e… espionando os vizinhos.

Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir.

Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle?

Suspense, Thriller / 352 Páginas / Editora ArqueiroAutor:  A.J.Finn / Publicado em 2018 / Classificação 5/5 / Compre: Saraiva

Gente do céu,
Comecei a ler esse livro aqui, sem esperar nada demais… e quando fui perceber eu já estava super envolvida com a história, a ponto de não querer mais largar o livro!

Tipo assim, Anna, nossa protagonista tem agorafobia, e por conta disso ela não consegue sair de casa há mais de 10 meses, com isso, espiar os vizinhos através da lente da sua câmera se tornou um hobby, algo que ela faz no dia-a-dia, maaas tudo isso muda com a chegada da família Russells, Anna vê algo (não vou falar o que) bem chocante acontecendo naquela família e liga para a polícia.

“Bisbilhotar é como fotografar a natureza: a gente não interfere” – Pág 10

Porém, ao que parece, nada do que a Anna viu é real, e ela imaginou tudo isso em sua cabeça.
Ao mesmo tempo em que aparecem sinais de que tem algo errado acontecendo e a Anna está realmente certa, a mistura de remédios + bebida e uma possível depressão, faz você duvidar da Anna, já que ela narra a história e podemos perceber que nossa protagonista não está 100% sabe?

“Agorafobia não veio para destruir a minha vida: ela agora é minha vida.” – Pág 26

Enfim, as páginas vão passando e isso só vai te deixando mais curioso para saber o que realmente está acontecendo! E é por isso que não dá para largar o livro, e o final… MINHA GENTE QUE FINAL!!!
Para mim, o final foi o ápice da história, o momento mais inesperado e eletrizante!

“..precisamos nos esconder da bagunça do mundo, da massa do mundo.” – Pág 26

E eu gostei bastante também do modo que a história foi desenvolvida, mostrando o presente e partes do passado da Anna, assim a gente começa, aos poucos, a entender o que aconteceu com ela e o porque ela sofre de agorafobia.

Um fato interessante é que no autor cita diversos filmes em preto e branco nesse livro, e na Bienal do Livro eu tive a oportunidade de conhece-lo e resolvi perguntar se ele realmente tinha assistido todos aqueles filmes, ele respondeu que “assistiu mais filmes do que ele queria..” eee falou que o melhor de todos, é o XXX, aparece uma citação desse filme antes do livro se iniciar.

Ainda na Bienal do livro ele falou sobre o filme, e falou também sobre não ter detalhado muito a protagonista para que assim cada leitor, imaginasse ela a seu modo. Achei tudo isso muito legal, e para finalizar queria dizer que #SuperIndico esse livro

“Não é paranoia se está realmente acontecendo.” – Pág 208

0 Flares Facebook 0 Pin It Share 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×
The following two tabs change content below.

Bianca Nunes

Chocolatra, socia media, fundadora do Mais um Leitor, meio geek, ama lobos, dragões, viagens e boas histórias